terça-feira, 31 de agosto de 2010

NUNCA TE VI... SEMPRE TE AMEI...




NUNCA TE VI... SEMPRE TE AMEI...

Nunca te vi... não olhei teu olhar... não senti o teu toque
Não respirei teu respirar... nunca te vi... só te imagino...

Mas te sinto em cada fibra que me compõe...

Nunca ouvi tua voz... mas o som melodioso dela me preenche...

Nunca vi teu sorriso... nunca te vi sorrindo...

Mas tua risada me faz rir e viver...

Nunca senti tuas mãos... teu tocar...

Mas sinto-as suaves no enlace dos contornos do meu corpo...

Fantasias me inundam a mente e te imagino assim...

Nunca te vi...
Mas teu olhar acompanha meu caminhar...
Como uma sombra indelével, intocável, mas tão real...
Nunca senti teu abraço, teu calor... mas te sinto e te abraço

Te abraço no meu imaginar...

Nunca te vi mas te encontro a cada esquina do meu cotidiano...
Tua presença é marca tatuada em mim...

Nunca te vi mas te procuro
Tento te ver no meu futuro incerto

Tento te encontrar no meu olhar distante...

Tento te ver nos meus pensamentos divagantes...

Ah, ai eu te procuro e te encontro...

E embora não saibas eu te tenho aqui comigo, em mim...

Será que sabes ou pensas em mim?

Não sei e nem quero pensar... te penso por nós...

Nunca te vi mas te vejo como se fossemos nós...

Nunca te vi mas tua imagem me segue, persegue

E o teu olhar ilumina meu pensar, meu caminhar...

Nunca te vi... mas todos os dias te abraço e me fortaleço...

Nunca te vi... nunca te toquei... mas sempre te amei...
E sempre te amarei...

(Madalena Ribeiro)

Um comentário:

MIMI ROSALIZ disse...

Lindo demais este poema. Adorei e faz sentido comigo.